Em jogo bastante catimbado, o Atlético conquistou o título do Torneio Internacional Máster de Futebol, neste domingo. O Galo venceu o San Lorenzo-ARG, nos pênaltis, por 8 a 7. No tempo normal, o duelo terminou empatado em 1 a 1. A partida foi disputada na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

A decisão do título foi bastante tumultuada por parte dos argentinos, que tentaram, no intervalo, uma mudança no regulamento. Homens da delegação, que não estavam no time, resolveram tumultuar, alegando que o Atlético descumpria o regulamento: estava atuando com quatro jogadores entre 35 e 40 anos.

Porém, segundo a organização do evento, era um equívoco, já que autorizava três jogadores na linha e mais o goleiro, com esse limite de idade. E era justamente o que acontecia, pois o Galo tinha o goleiro Giulliano, o zagueiro Adriano Lobinho, Léo de Deus e Paulinho Guará, sendo que o primeiro, era o goleiro do Galo.

A situação acabou contornada, com a ajuda dos jogadores argentinos, que queriam continuar a partida. Sérgio Araújo brincou com a situação: “Eles estão perdendo.” O jogo continuou, sem problemas. No entanto, tornou-se mais ríspido, com muitas faltas e com o árbitro, Antônio William Gomes distribuindo quatro cartões amarelos, todos para os argentinos.

O gol atleticano foi marcado por Paulinho Guará, aos 10min do primeiro tempo. O San Lorenzo empatou com Monserrat, aos 23min do segundo. Nos pênaltis, Álvaro, Sérgio Araújo, Araújo, Luís Cláudio, Piuzinho, Faioli, Fofão e Marcelinho (este cobrou o último), marcaram, enquanto Piu, o segundo a bater, perdeu sua cobrança, defendida pelo goleiro Livora. Pelo San Lorenzo marcaram Gorosito, Biaggio, Esquivel, Lazzaro, Álvarez, Antonelli e Monserrat. O gol atRivadero e Estevez tiveram suas cobranças defendidas pelo goleiro Giulliano.

Atlético: Giuliano, Fofão, Álvaro, Lobinho e Luís Cláudio; Araújo, Gedeon, Piu e Léo de Deus; Paulinho Guará e Wellington Amorim, depois Marcelinho, Eron, Sérgio Araujo, Técnico: Jorge Valença.

San Lorenzo: Livora, Gallardo, Álvarez, Lussenhoof e Esquivel; Rivadero, Monserrat, Calabria e Gorosito; Estevez e Lazzaro, depois Antonelli, Biaggio e Vasquez. Técnico: Roberto Lezcaro.